Google Translate

segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

Paixão-lunar

Beijo-te as mãos, movida por um amor sincero, entrego-me a ti de forma desmedida, pois, não há temores em meu coração; quero amar e ser amada loucamente!

Beijo-te a alma nua com meus lábios de deusa lunar, provoco-te a embriaguez com o vinho dos meus carinhos, deixo-te tonto com as palavras doces que te sussurro aos ouvidos. Sou para ti o que a luz é para os olhos do peregrino noctívago, sou o doce em tua língua, e a paz que te assalta o peito em dias de guerra interior.

Caminho ao teu lado alegremente e não censuro fantasia alguma que tenhas e faças sobre meu corpo. Não te esqueças que sou tua Afrodite, a aquecer-te o corpo nos períodos de noites frias! Faço-me teu anjo guardião quando lágrimas de dor rolam-te as maçãs vermelhas das faces.

Em cima do nosso leito de delírios carnais, te ofereço o banquete de minha pele macia e quente, para que tu, e, apenas tu, te sirvas plenamente dela. Em meio aos lençóis brancos e perfumados desta nossa cama, te revelo todo o tremor, que se faz escravo de tua virilidade, que se apossa de minhas terras prazerosas, e, deste modo, deixo-te a certeza que só tu tens meus toques excitantes e carícias selvagens.

Adoro mergulhar no oceano do teu suor os marinhos maremotos do meu, misturando nossos cheiros lascivos, sonorizando nossas narinas com a loucura de um só cio delirante e primitivo.

Uma só noite se torna muito pouco para nós, afinal, somos amantes latinos que têm em suas veias o magma que escorre das entranhas de um furioso vulcão em plena atividade eruptiva.

Sempre hei de guardar bem dentro de mim estes momentos tão prazerosos que passamos juntos, tendo como única testemunha a lua nova, que, do alto do céu estrelado, nos observa silenciosa através da janela aberta do nosso espaço secreto!


- ELTON SIPIÃO O ANJO DAS LETRAS. 

Revisão textual e leitura crítica realizada por Natanael de Alencar. 

Nenhum comentário: