sábado, 14 de junho de 2014

Bruna.

        Tu chegaste escoltada pelos anjos da aurora, e com isso fizeste nascer para os nossos corações dias novos e ricos em contentamento. Chegaste revestida com a túnica da inocência da alma, e assim nos coroaste com uma pureza nunca antes vista por nossos olhos.  

        Chegaste trazida por uma carruagem de fogo e imprimiste em nosso peito o teu nome sagrado e imponente. Fizeste transbordar em nossos lábios mares de risos por causa desta tua chegada tão ansiada.

        Em combinada decisão com as Deusas e Deuses antigos, tu nos escolheste para sermos a tua família, com o intuito de bebermos contigo na taça da vida. E dentro deste plano divinal de fazeres parte do nosso sangue, tu hás de buscar o teu particular crescimento espiritual.

        Foste mandada pela Antiga-Mãe para seres em nosso meio um facho de luz celestial com o intuito de iluminar a nossa casa.

       Caminhará em nossa companhia até que a milenar Senhora vestida de negro, aquela que porta em uma de suas mãos a nefasta foice, chame a nós, os mais velhos, para nos encaminharmos na direção da mansão dos mortos.

        Mas antes que esta nos venha, oh, princesa ensolarada de nossas existências, tu reinarás entre nós imponentemente vestida por uma poesia plena de poder, e que será dona de uma beleza inderrotável.  

- ELTON SIPIÃO O ANJO DAS LETRAS

Dedico esta poesia para ti, minha amada sobrinha Bruna. Seja muito bem vinda a este mundo criado para nós pelas Deusas e Deuses antigos.

Nenhum comentário: