Google Translate

0

Excertos de Sagrado feminino: a nova moda.

terça-feira, 23 de agosto de 2016.
"Sinceramente, tenho alergia às modas e clichê".

Para mim o sagrado feminino existe somente em quem assume o fardo do ser mulher e do ser mulher livre. Livre da opinião alheia, livre da benção do grupo, livre da chantagem econômica que maridos e pais impõem, livre do jugo afetivo que a família impõe, livre da necessidade de ser aprovada por um homem, livre de se vender e “prostituir” para agradar, fazer parte, ter dinheiro, status, aplauso.

Você não encontrará o “sagrado feminino” num workshop com fogueiras e cantos, danças e pinturas. O feminino sagrado é a Deusa em você, é Deus ao feminino em você que exige seu compromisso e sua lealdade. É começar a reconhecer como sagrada sua voz interior, começar a se ouvir, começar a deixar as tramoias de lado e ser honesta, transparente, impiedosamente transparente consigo mesma.

O sagrado de seu feminino aparece quando você para de esconder sua feminidade que obviamente não se resume na sessão ao cabeleireiro e à academia. A deusa em você está na sua exigência de ser mãe com dignidade, mas também no parar de ser mãe que produz filhos concretos para produzir filhos espirituais, parir novos mundos para si e a humanidade.

O sagrado feminino aparece quando você se recusa a fazer o jogo do sistema capitalista que escraviza mulheres e homens, mães, crianças, pais, natureza, animais, e que para se sustentar exige que cada um amordace sua sensibilidade, sua beleza interior sua delicadeza.

Você dá voz ao feminino sagrado quando não vive em função do lucro, quando coloca as relações e o amor acima do lucro sem, entretanto se prejudicar porque precisa viver e viver saudavelmente para poder amar mais e melhor.

           O sagrado feminino é quando você consegue amar o outro a partir do amor que tem por si mesma, quando você se permite ser tocada lá no fundo pelo outro para assim de verdade compreendê-lo, sentindo de dentro e estando juntos de verdade. O sagrado feminino encara o desafio de como é que isso pode acontecer, sem receitas! Sem receitas, sem gurus. Você aprendendo a andar sobre suas próprias pernas.
 “A deusa agradece. "

          “ Vivemos numa sociedade altamente machista não só de homens como de mulheres machista (as piores). O machismo das mulheres vêm às claras no olhar desaprovador que lançam contra outras mulheres que ousam o que elas não tem coragem de fazer, ou que dizem o que elas não tem coragem de dizer, ou que peitam o grupo (feminino, pasmem!) em nome de sua independência de pensamento e autonomia de comportamento. O machismo das mulheres está na competição desregrada e venenosa que travam contra outras mulheres."  

         "Cadê a deusa em você? Agora, nesse momento? Cadê ela? No workshop que irá fazer nesse fim de semana? Ah... certo. Quero ver onde está o sagrado feminino na sua relação, no seu trabalho, entre você e suas amigas, entre você e a causa social que atende, entre você e seu chefe e sobretudo, entre você e os valores que de fato diariamente norteiam sua vida, suas escolhas, suas prioridades."


          - Adriana Tanese Nogueira

   Link original da postagem que possui o texto na íntegra:

   http://goo.gl/CuOzsn           
Comente aqui...
0

Beijos ciganos

segunda-feira, 22 de agosto de 2016.
Teus beijos acendem em meu seio a erupção de um vulcão de sensações incontroláveis.  Meus lábios se entregam aos teus como amantes dementes, submissos ao toque deles.  E eu só sei te querer aqui e agora sem pensar por um segundo sequer no amanhã.

Teus ósculos de bela Afrodite me conduzem aos braços das ninfas do amor, quando eu os sinto, dentro do meu coração se materializa um paraíso de delícias indescritíveis.  

Teu sorriso sempre me acompanha onde meus pés podem me levar, sendo assim, minha mente jamais consegue esquecer-te.  Tu habitas no âmago dos meus mais secretos sonhos, lá me perco de forma irremediável em ti.

Meu espírito quando se encontra longe do teu; sangra rios de saudades, se esvai em clamores e choros desesperados, isto faz com que todo o meu ser te busque a cada fração de segundo do dia.  Tu sabes como me enlouquecer com tuas sanhas vertiginosas e com as tuas taras vermelhas, apenas, as tuas mãos de jovem cigana conseguem colocar sabiamente sob a mesa, as cartas mágicas deste jogo chamado amor.

Durante a noite é o meu tato que de forma ávida busca a perfeição do teu corpo nu, e de manhã é a minha boca que procura despertar-te para um novo enlace de sedenta entrega carnal.  Tu, oh, garota dos feitiços sagrados e devota de Santa Sara Kali, saiba que, as minhas pernas são viciadas em dançar a tua coreografia de sutilezas sensuais.

A carroça estacionada juntamente com as outras formando o acampamento cigano é o templo dionisíaco dos nossos conluios apaixonantes.  E é neste templo que descortino paulatinamente através dos meus sentidos, a visão da glória sensualíssima desta deusa profana que tu és; senhora encantadora dos meus sentimentos abissais.

- ELTON SIPIÃO O ANJO DAS LETRAS


A foto que ilustra o texto publicado acima ficou famosamente conhecida como “The Kiss” – (o beijo). O jovem casal retratado na referida foto é formado pelo lendário cantor Elvis Presley – West Tupelo, 8 de janeiro de 1935 – Memphis, 16 de agosto de 1977, e por Barbara Gray.  O beijo sensual foi eternizado pela lente do fotógrafo Alfred Wertheimer numa noite de junho de 1956, Elvis tinha apenas 21 anos e estava em início de carreira.

Por anos, The Kiss foi considerada uma foto misteriosa pelo simples fato de que ninguém, nem o fotógrafo e muito menos Elvis, sabiam de fato quem era a jovem e bela mulher que nela aparece beijando o rei do rock. Esta imagem da mais pura sensualidade viajou o mundo através do tempo sendo republicada em várias formas de mídia existente, fazendo parte até de exposições.

Atualmente o mistério acabou quando a própria Barbara resolveu se revelar ao mundo como a moça retratada na foto ao lado de Elvis. 
Comente aqui...
0

Pensamentos de uma doce ninfa

segunda-feira, 15 de agosto de 2016.
Teu toque em meu jardim piramidal quase me leva ao êxtase, fazendo um aguaceiro de doces sensações escorrerem pernas abaixo.  Neste momento, sou como um lampião desejando ser aceso pelo teu libidinoso fogo.  Também me vejo como a jovem donzela sob o balcão da sacada, à espera da visita de seu doce vampiro.

Com certeza, oh, minha moça, sempre estou a ansiar por tuas carícias, passo todas as horas a sonhar com elas.  Sinto o rubor chegar as minhas faces, quando percebo o umedecer do meu sexo por conta dos pensamentos que tenho contigo, e, isto, muitas vezes, ocorre em via pública.

E eu que sou tão mulher como tu mesma és, guardo em minha memória afetiva o perfume agradável da tua pele macia. Então, meus pelos se arrepiam, assim como os mamilos por baixo das minhas vestes se enrijecem. Nestas circunstâncias, quase perco o controle e, por pouco, não chego a gritar teu sublime nome no meio das ruas.

Para a minha definitiva tortura, tudo ao meu redor faz lembrar-me de ti, até os rostos expostos das belas modelos em grandes outdoors.  A imagem da estética perfeita da tua beleza persegue constantemente a minha mente, e não há, oh, meu dulcíssimo amor, como livrar-me dela.

Será que durante todo o tempo eu também povoo os teus pensamentos desta forma tão obsessiva? Por um acaso, tornei-me igualmente para ti um fantasma de sensualidade afroditiana a assombrar-te segundo a segundo da existência?

Houve muitos momentos, devo confessar-te, que, quando estavas ausente, deixando-me sozinha em nosso apartamento, levada por estes contínuos pensamentos libidinosos a teu respeito, fui obrigada a fazer justiça com as minhas próprias mãos, pois, tocando-me de forma intima e profundamente lasciva, cheguei a estrondosos orgasmos, invocando a tua presença, ah, minha ninfa, que leva em seu seio o poder de uma grande sedução sobre mim!

Hoje, quando a noite cair vagarosamente sobre as nossas cabeças, atravessarei a madrugada inteira tendo o meu corpo nu entrelaçado irremediavelmente ao teu. E o som que irá sair das nossas respectivas gargantas, será os de silvos de duas serpentes no mais pleno CIO.

- ELTON SIPIÃO O ANJO DAS LETRAS 

Leitura crítica e revisão textual de Natanael Gomes de Alencar.
Comente aqui...
0

Sacerdotisa do meu mais puro prazer

sábado, 13 de agosto de 2016.
Tua língua passeia pelo meu corpo, fazendo com que eu me contorça de puro contentamento; é como se uma sensação elétrica atravessasse cada fibra da minha estrutura corpórea.  Mesmo de olhos fechados, consigo contemplar o fulgor da tua selvagem lascívia. 

Nada escapa desta pequena serpente rubra que se projeta do interior da tua boca para fora, cada centímetro da minha tez é devassada pelo seu toque libidinoso. Meus pelos se eriçam, arrepios prazerosos perpassam por toda esta minha nudez morena.

Os teus curtos ósculos estrategicamente aplicados sobre cada ponto da minha carne, fazem brotar dos meus lábios, gemidos obscenos e palavras que parecem proceder de um Dionísio ébrio por um vinho retirado de barris vindos diretamente do Olimpo.  

Oh, sim, querida, tu és a deusa dos meus deleites luminosos e a senhora dos meus fetiches carmins.  Com certeza foi à própria Afrodite quem te concedeu o conhecimento sábio da forma como deveria tocar-me para o meu bel prazer. 

Apenas a tua nudez em pelo consegue me levar às raias da realização plena.  E um júbilo completo me possui, todas as vezes que bebo do doce licor que escorre do recipiente cárneo do teu sexo molhado.  Com certeza tu te configuras como um aspecto da sagrada Vênus para mim, em ti unicamente repousa a minha afetiva predileção.

Sinto-me um sátiro insaciável quando me deixo conduzir pelos teus rituais afroditianos, da mesma forma percebo que te tornas a mais provocante das ninfas, quando me oferece teu corpo desnudo para que por meio dele, eu possa sentir a essência mágica das deusas pagãs do amor.

O sagrado e o profano habitam em ti dentro de um equilíbrio incontestável, a luz e as trevas em um verdadeiro romance espiritual, celebram as suas núpcias no intimo do teu abissal coração de mulher.

Ouvindo e sentindo a doçura sublime do teu canto matriarcal, deito tempestuosamente em teu seio, oh, mãe de toda a terra, os rios leitosos dos meus orgasmos exuberantementes profícuos. 

- ELTON SIPIÃO O ANJO DAS LETRAS.   
Comente aqui...
TEXTOS E CRÔNICAS DO ANJO DAS LETRAS. © Copyright 2007 - 2016 | Design By Gothic Darkness | Editado por Lizza Bathory